De acordo com a Organização Mundial da Saúde, saúde mental é um estado de bem-estar no qual o indivíduo é capaz de usar suas próprias habilidades, recuperar-se do estresse rotineiro, ser produtivo e contribuir com a sua comunidade.

A atenção em saúde mental é oferecida no Sistema Único de Saúde (SUS), através de financiamento tripartite e de ações municipalizadas e organizadas por níveis de complexidade. A Rede de Cuidados em Saúde Mental, Crack, Álcool e outras Drogas foi pactuada em julho de 2011, como parte das discussões de implantação do Decreto nº 7508, de 28 de junho de 2011, e prevê, a partir da Política Nacional de Saúde Mental, os Centros de Atenção Psicossocial (CAPs), os Serviços Residenciais Terapêuticos, os Centros de Convivência e Cultura, as Unidades de Acolhimento e os leitos de atenção integral em Hospitais Gerais. 

Além de atender pessoas com transtornos mentais, estes espaços acolhem usuários de álcool, crack e outras drogas e estão espalhados pelo país, modificando a estrutura da assistência à saúde mental. E vêm substituindo progressivamente o modelo hospitalocêntrico e manicomial, de características excludentes, opressivas e reducionistas (leia mais no artigo Desafios da reforma psiquiátrica no Brasil, de Benilton Bezarra Jr.), na tentativa de construir um sistema de assistência orientado pelos princípios fundamentais do SUS (universalidade, equidade e integralidade).

Esta forma de atendimento é fruto de um longo processo de luta social que culminou com a Reforma psiquiátrica, em 2001. Sua principal bandeira está na mudança do modelo de tratamento: no lugar do isolamento, o convívio com a família e a comunidade.

O maior desafio para as políticas de saúde mental no Brasil hoje é o enfrentamento do uso do crack. Com a desospitalização promovida a partir dos princípios da Reforma pisquiátrica e o consumo crescente da droga em todas as esferas sociais, o SUS tem atuado de forma interdisciplinar, objetivando construir uma estratégia eficaz de enfrentamento do problema, já considerado uma epidemia por diversas instituições.

 

Seminário internacional

Edição do programa Sala de convidados, do Canal Saúde, coloca em pauta a saúde mental e o Seminário Internacional de Saúde Mental, realizado em março de 2015

Mais informações

Conheça experiências com soluções para o SUS, implantadas pelo país

BVS

Acesse a BVS e consulte o acervo de bibliotecas e centros de documentação

BVS

Filme

Cartaz do filme "Nise - o coração da loucurca", com o título e uma imagem de fundo do perfil da atriz Gloria Pires, que interprte a pisquiatra

Veja informações sobre "Nise – O coração da loucura”, que conta a história da psiquiatra e sua resistência a tratamentos agressivos na saúde mental

Medicalização

Em entrevista ao Centro de Estudos Estratégicos da Fiocruz, o sanitarista Paulo Amarante (Ensp/Fiocruz) analisa o excesso de medicalização dos problemas cotidianos, destacando fazer mais mal à saúde do que a depressão. Leia a íntegra da entrevista

Curso

UFSC oferece o curso Eventos Agudos em Saúde Mental, voltado para profissionais de saúde, de nível técnico e superior. A atividade integra a Rede UNA-SUS e as inscrições vão até 15/12/2017

Entrevista

Cartaz com duas pessoas ao lado dos dizeres

Rosana Onocko-Campos, professora e pesquisadora da Unicamp, avalia atual política de saúde mental e destaca o papel da luta social do movimento antimanicomial

BVS

Página inicial da área temática de saúde mental da Biblioteca Virtual de Saúde

Biblioteca Virtual de Saúde (BVS) tem área temática sobre saúde mental, disponibilizando produção científica e tecnológica na área e registro da prática da assistência psiquiátrica no Brasil

Guia de Saúde Mental

Logomarca do projeto, exibindo mão com as cores vermelho, laranja e amarelo

Material didático do curso "Caminhos do Cuidado", o guia é ferramenta de trabalho para Agentes Comunitários de Saúde, auxiliares e técnicos de enfermagem no desenvolvimento de ações de cuidado em saúde mental