Três anos do site PenseSUS: a reflexão ainda fortalece essa conquista

três anos_bruno

19/05/2017
Por Marina Maria


Há três anos, em 15 de maio de 2014, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) lançava o site PenseSUS – A reflexão fortalece essa conquista, como parte das ações pelos 25 anos do Sistema Único de Saúde (SUS), comemorados em 2013. O objetivo inicial era reunir conteúdos referentes ao SUS — reportagens, artigos, pesquisas e materiais audiovisuais — para promover uma ampla reflexão sobre o sistema como política nacional de saúde no Brasil. No entanto, a variedade desses conteúdos e a necessária busca por ampliar ainda mais o debate fizeram com que o PenseSUS se constituísse para além do site. Um caminho inevitável. Em prol da reflexão e do fortalecimento de nosso sistema público de saúde, revelou-se premente envolver e acolher públicos diversos — sobretudo ante as crescentes ameaças ao direito à saúde, no decorrer desses três anos do site no ar.

Nesta trajetória, temos nos empenhado em construir formas de falar sobre o SUS, identificar e apresentar informações variadas, estabelecer parcerias e criar articulações com instâncias de participação social em saúde. De cara, no primeiro ano, tentamos escutar diferentes atores do campo da saúde para dar sentidos ao PenseSUS, reconhecendo o desafio de ultrapassar os nossos muros científicos e diversificar fontes, linguagens e formatos. Ainda precisamos avançar e muito na ruptura desses muros e na diversificação do que disponibilizamos, não falando de maneira endógena e inacessível. No entanto, acreditamos que estes três anos têm nos rendido apostas possíveis e, sobretudo, muitos aprendizados. E olhar as realizações do PenseSUS até o momento nos mostra que temos um projeto em desenvolvimento, com vocação para diferentes formas de atuação.

 
Uma dessas iniciativas, nessa busca, foi a série de Diálogos PenseSUS. Criada em 2015, vem se constituindo como encontros idealizados para mobilizar a sociedade a debater temas relevantes para a saúde coletiva brasileira, tendo como ponto de partida o reconhecimento do direito à comunicação e à informação como fundamentais para o direito à saúde. Em setembro de 2015, organizamos a primeira edição da série, com o tema “Democracia, comunicação, informação e direito à saúde”, sendo também uma atividade de mobilização para a 15ª Conferência Nacional de Saúde, que aconteceu em dezembro do mesmo ano. Como desdobramento do 1° Diálogo PenseSUS, foi elaborada uma carta direcionada aos participantes da 15ª Conferência, assinada por 20 instituições nacionais, e que resultou na aprovação pela plenária deste evento da Moção de Apelo “Afirmar o direito à comunicação e informação como fundamentais para consolidar a democracia e o direito à saúde”. Já o 2º Diálogo PenseSUS aconteceu em novembro de 2016 e discutiu o “Conflito público x privado nas políticas de comunicação, informação e saúde”. Mais uma vez, apostamos em uma temática crucial para o cenário político atual, tão crítico.

   
Vale lembrar que o projeto PenseSUS é desenvolvido pelo Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (Icict/Fiocruz), em parceria com o Centro Brasileiro de Estudos de Saúde (Cebes) e a Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco), envolvendo diferentes setores da unidade e da Fiocruz, em geral. A partir dessas parcerias, temos buscado implementar ações que nos aproximem de diferentes segmentos e, assim, encontremos caminhos para ampliar o diálogo e a reflexão sobre o SUS. E isso se evidencia com os vídeos produzidos em parceria com a VideoSaúde Distribuidora da Fiocruz e disponibilizados no YouTube, que incluem a cobertura de eventos organizados pelo PenseSUS e curtas que apresentam respostas variadas para as perguntas “O que é o SUS para você?” ou ainda “O que é saúde para você?”.

Também vem dessas parcerias a possibilidade de lançar as redes sociais do PenseSUS, graças ao apoio decorrente de um programa do Icict/Fiocruz para o financiamento de projetos realizados por trabalhadores da unidade. A experiência com a moderação regular da página no Facebook e no Twitter tem propiciado uma nova forma de interação com a população, com desafios e potenciais decorrentes do uso das novas tecnologias de informação e comunicação e que ainda revelam a nossa necessidade de buscar mais clareza quanto ao que tem se tornado, pode e quer ser o PenseSUS, no seu compromisso com o fortalecimento do SUS.
Por fim, a dinâmica do contexto da saúde pública no Brasil tem nos feito atualizar os verbetes oferecidos aos usuários para navegação no site PenseSUS. Mais recentemente, criamos o verbete “Saúde é democracia”, entendendo que se torna urgente lembrar, diante das perdas e ameaças recentes aos direitos sociais estabelecidos pela Constituição Federal de 1988 e a outras conquistas, que a garantia do direito à saúde está diretamente relacionada a um modelo político democrático e não excludente.

O fato é que, nestes três anos de PenseSUS, as lições e reflexões sobre como comunicar e informar para e pelo SUS e o direito à saúde têm sido recorrentes. As incursões recentes nas redes sociais do PenseSUS, por exemplo, evidenciaram que qualquer tentativa de fortalecer o SUS só se potencializa se envolver, de fato, a diversidade de segmentos que o vivencia visceralmente no seu cotidiano. E não nos faltam questionamentos: a quem estamos falando? Quem estamos ouvindo? Estamos conseguindo estabelecer, de fato, diálogos para reflexão sobre o SUS? E o que gestores, trabalhadores e usuários do SUS dizem sobre a saúde no país? O que queremos para os próximos anos do PenseSUS? O que a população espera do PenseSUS? Neste momento, celebramos os três anos desta criança que ainda é o PenseSUS, acolhendo o que o projeto foi até agora e cuidando para que siga seus rumos com apoio, potência, relevância e comprometimento com o SUS. Vida longa ao PenseSUS!