A história das vacinas no Brasil nos remete a 1904, quando Oswaldo Cruz, então diretor geral de Saúde Pública (cargo que corresponde atualmente ao de ministro da Saúde) iniciou uma série de campanhas de saneamento e imunização. Neste ano, diante de surtos de varíola, o sanitarista tentou promover a vacinação em massa da população brasileira, recebendo duras críticas por parte da sociedade em geral.

Mais de um século depois, o reconhecimento da importância das iniciativas de Oswaldo Cruz para a garantia do direito à saúde é incontestável. Atualmente, o Sistema Único de Saúde (SUS) oferece aos cidadãos brasileiros uma série de vacinas – boa parte delas produzidas nacionalmente (90%) – e mais de 34 mil salas de vacinação pelo país. O Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde, que completou 40 anos de existência em 2013, apresenta boas práticas na implementação da política de vacinação do país, como as parcerias com laboratórios públicos para produção nacional de imunobiológicos, a erradicação de doenças como a poliomielite, febre amarela e varíola, e a contribuição para a ausência da paralisia infantil e do sarampo.

Os calendários de vacinação voltados a públicos específicos – criança, adolescente, adulto, idoso e população indígena – e as campanhas vêm dando conta das vacinas prioritárias, oferecidas gratuitamente nos centros de saúde da rede pública. A partir de 2014, mais três vacinas foram incorporadas aos serviços do SUS: HPV, hepatite A e vacina para gestantes contra difteria, tétano e coqueluche.

 

  • 40 anos de PNI

    Especialistas debatem os ganhos advindos com a criação do Programa Nacional de Imunizações (PNI) do Ministério da Saúde para a prevenção, controle e erradicação de doenças preveníveis por vacina

Mais informações

Conheça experiências com soluções para o SUS, implantadas pelo país

BVS

Acesse a BVS e consulte o acervo de bibliotecas e centros de documentação

BVS

Covid-19

Entre as notícias falsas sobre Covid-19 que circulam na internet, 19,8% são sobre as vacinas, conclui estudo conduzido por Claudia Galhardi, pesquisadora da Ensp/Fiocruz, em parceria com a Universidade Federal do Piauí

Atualização

Ministério da Saúde publica nota técnica em 06/07/2021 com atualização das recomendações sobre vacinação contra a Covid-19 em gestantes e puérperas de até 45 dias pós-parto, orientando a vacinação, com prescrição

Vacinômetro

Vacinômetro apresenta a situação da vacinação contra a Covid-19 no Brasil, com dados da Agência Brasil e da plataforma Localiza SUS, do Ministério da Saúde. Acompanhe mais no site do Conselho Nacional de Saúde

Discrepância

Matéria publicada na revista Radis destaca que a pandemia de Covid-19 escancara contradições da saúde global, com países ricos vacinando e países pobres em espera, evidenciando a discrepância no acesso às vacinas

Revista

Sétima edição da publicação Radar Covid-19 Favela traz o especial “Vacina para as favelas e periferias”, com textos sobre o direito à vacinação. Leia também reflexões sobre a volta às aulas e muito mais

Nota

Sociedade Brasileira de Imunologia divulga nota sobre a eficácia das vacinas para Covid-19 e os resultados dos estudos clínicos divulgados no país, reforçando a importância da vacinação para proteger a população da doença

Vacina é direito

Abrasco e outras entidades se manifestam contra a abertura da vacinação de Covid-19 para clínicas privadas, defendendo que vacinar no SUS é um direito de todos e um dever do Estado. Acesse o manifesto

Vacina e Covid-19

Portal Fiocruz reúne informações sobre estudos em andamento e participação institucional na produção de vacinas para o enfrentamento da Covid-19. Acompanhe atualizações

#VacinaSim

Imagem da campanha #VacineSim da Fiocruz com caricatura de Oswaldo Cruz e desenho do globo terrestre ao fundo

Especial Vacinação do Portal Fiocruz reúne informações em apoio à campanha #VacinaSim, realizada para incentivar a população brasileira a se vacinar contra doenças e reduzir a queda da cobertura vacinal no Brasil